4 de julho, o patriotismo norte-americano e a música pop

Washington, DC, EUA
4 de julho é o dia em que os norte-americanos comemoram a sua independência. Aliás, comemoram MESMO. Em poucos lugares do mundo o dia da independência nacional é tão aclamado quanto nos Estados Unidos. Orgulhosos de sua pátria, os iankes se preocupam em manter acesa a chama do sonho americano, e buscam inspiração para isso em diversas fontes. Ao lado do cinema, a música pop talvez seja a mais recorrente de todas elas.



Bruce Springsteen, em 4 de junho de 1984, lançou o álbum Born in the USA, recheado de ideias nacionalistas desde a sua capa, que carregava a bandeira norte-americana em evidência. A faixa que dá título ao disco se tornou um verdadeiro hino estadunidense. O refrão "Born in the USA. I was born in the USA!" foi considerado um dos refrões mais chicletes da música pop. O disco acabou fazendo tanto sucesso que desbancou Michael Jackson do topo das paradas, alcançou a liderança das vendas e, anos depois, recebeu um espaço exclusivo no Rock and Roll Hall of Fame, em Ohio.



Nos anos 2000, a dupla de rappers de Atlanta Outkast usou da mesma temática, mas de uma forma diferente, e lançou o álbum StanKonia. Com uma capa que trazia a bandeira do país tingida em tons negros, o álbum vendeu mais de 500 mil cópias em apenas uma semana.



Se utilizar a bandeira norte-america causa empatia no público, brincar com os símbolos nacionais é um gesto extremamente reprovado pela população. Quem sentiu isso na pele foi a banda The Black Crowes, vitimada com vaias e censura por conta de uma piada de mau gosto estampada na capa do disco Amorica, de 1994. Embora as vendas tenham atingido um número considerável na época, o episódio marcou o início da queda de popularidade da banda em solo americano.



A lista de artistas que já utilizou a bandeira dos Estados Unidos como plano de fundo para a sua música é extensa, e conta com nomes do calibre de Maroon 5, Madonna, Jay-Z e Lenny Krevitz.

Recentemente, Lana del Rey caiu nas graças do público ao incorporar as cores norte-americanas em toda a identidade visual de seu disco de estreia, Born To Die, cujo título faz referência direta a obra de Bruce Springsteen. Curiosamente, o principal videoclipe do trabalho foi gravado em solo francês. Mas, lógico, disso ninguém precisa saber.



O que você achou disso?

Leia também:

Jim Morrison, morreu mesmo?

Histórias mal contadas, boatos estranhos surgidos com o tempo e possíveis reaparições após a morte até hoje criam muitas teorias em torno da morte do líder do The Doors. Continue lendo

Copyright © 2013 New Yeah Música, todos os direitos reservados.