A Legend In My Time - Uma década sem Johnny Cash

Arkansas, EUA
Poucos homens vivem o bastante para se tornarem lendas. E, com uma carreira de quase 50 anos, uma lista enorme de premiações e uma das histórias de amor mais comoventes do mundo da música, John R. Cash, mais conhecido como Johnny Cash, é um dos poucos que alcançaram esse status.


Nascido no dia 26 de fevereiro de 1932, Cash teve uma infância difícil. Filho de um fazendeiro pobre e alcoólatra, com seis irmãos, Johnny começou a trabalhar muito cedo, aos 5 anos. Ele era muito próximo ao seu irmão mais velho, Jack, que faleceu em um acidente com uma serra de madeira. No mesmo dia, o pequeno John, agora com 12 anos, havia saído para pescar e, por isso, se culpou pela morte do irmão pelo resto da vida.

Expoente do rock norte-americano, Johnny Cash foi também o mais jovem cantor indicado ao Hall da Fama da música country.

Ele começou a tocar violão e compor muito cedo. Serviu na força aérea americana e, após ser dispensado, no ano de 1954, se casou com Vivian Liberto. Nesse casamento, Johnny teve 4 filhas. Ele se mudou com a mulher para a cidade de Memphis, no estado do Tennessee, onde era vendedor de ferramentas e estudava para ser locutor de rádio. Na época, sua música se resumia a reuniões noturnas com os amigos Luther Perkins (guitarrista) e Marshall Grant (baixista). Depois de criar coragem, ele foi até a Sun Records e apresentou seu repertório de músicas gospel. O produtor Sam Phillips disse que Cash deveria “voltar para casa e pecar, e depois voltar com uma música que possa ser vendida”. O cantor então deixou o gospel de lado e gravou as músicas “Hey Porter” e “Cry Cry Cry”, lançadas em 1955, e se tornou um destaque nas paradas de rock. Seu sucesso só aumentaria com a gravação das músicas “Folsom Prison Blues” e “I Walk the Line”. Em 1957, Johnny lançou seu primeiro disco e, no ano seguinte, se desligou da Sun Records e foi para a Columbia Records.

No início dos anos 60, Cash se separou da esposa e começou a ter problemas com as drogas. Nessa época, mesmo com todos os problemas, ele continuava compondo sucessos como “Ring of Fire”, que chegou no primeiro lugar das paradas country. O compositor diz ter tirado o arranjo de trompete dessa música de um sonho que teve. Sua empatia por presos fez com que ele fizesse shows em diversas prisões dos EUA nesse período.



Um acidente na casa de seu vizinho, Roy Orbison, matou dois dos três filhos do mesmo e, devido a esse fato, o cantor decidiu se livrar de alguns vícios. Então ele se trancou em casa para não ter contato com as drogas. Nesse momento de sua vida (que é fielmente retratado no filme “Johnny & June”), Cash se aproximou de June Cartar, que viria a ser a sua companheira para o resto da vida. Ao lado dela, ele se converteu ao cristianismo (após tentar se suicidar), teve um filho e lançou seus dois discos ao vivo de maior sucesso, ambos em prisões: Johnny Cash at Folsom Prison e Johnny Cash at San Quentin.

Mesmo em épocas de pouco sucesso nas rádios, Cash sempre se manteve na mídia e o seu público sempre esteve em crescimento.

Entre 1969 e 1971, ele estrelou seu próprio programa de TV. Nesse período, devido à suas roupas, ele imortalizou o apelido de “Homem de Preto”, estilo explicado na música "Man in Black". Nessa fase, suas músicas não faziam mais tanto sucesso, mas ele permanecia na mídia com as aparições na televisão e com a boa vendagem de sua autobiografia, "Man in Black". No início dos anos 80, ele foi também o mais jovem cantor indicado ao Hall da Fama da música country, mas suas músicas tinham cada vez menos sucesso. Ele teve uma recaída ao uso de drogas por causa das medicações que tomava em decorrência de um ferimento no estômago. Isso fez com que Cash abdicasse do uso de medicamentos em uma cirurgia preventiva no coração.

Nos anos 90, sua popularidade ganhou um novo fólego ao lançar o albúm American Recordings, em 1994, no qual fazia versões de vários artistas populares da época. Em 1996, ele lançou o álbum Unchained, seguindo a mesma linha do anterior. Esse álbum conta com a participação de Flea, baixista do Red Hot Chilli Peppers, e também foi vencedor de um grammy na categoria Melhor Álbum Country.

No início dos anos 2000, a saúde de Cash piorou por problemas neurológicos decorrentes da diabetes. Ele ainda lançou mais dois albúns nessa época, American III: Solitary Man e American IV: The Man Comes Arroud. Esse segundo lançamento continha a versão de Johnny para a música "Hurt", do Nine Inch Nails. A canção se tornaria um dos seus maiores sucessos e o videoclipe da mesma seria considerado pela Billboard, em 2011, como o melhor clipe de todos os tempos.



Em 15 de maio de 2003, depois de uma cirurgia no coração, sua esposa, June, faleceu. E, como em um filme, Cash morreu menos de quatro meses depois, há exatamente dez anos atrás. Ele e June foram enterrados juntos no Hendersonville Memory Gardens.

A música de Johnny Cash serviu de inspiração para milhares de artistas, tanto como um dos pioneiros do rock como um dos maiores expoentes da música country. Ele já recebeu diversas homenagens póstumas e muitos de seus sucessos foram relançados por outros artistas, como pode ser ouvido na versão do New Found Glory para a música "It Ain’t Me Babe". Na música "A Legend In My Time", Cash diz que “... se eles dessem estatuetas de ouro por lágrimas e arrependimentos, eu seria uma lenda do meu tempo”. Pois bem, Johnny, parece então que eles dão.

O que você achou disso?

Leia também:

Jim Morrison, morreu mesmo?

Histórias mal contadas, boatos estranhos surgidos com o tempo e possíveis reaparições após a morte até hoje criam muitas teorias em torno da morte do líder do The Doors. Continue lendo

Copyright © 2013 New Yeah Música, todos os direitos reservados.