Experimente: Eu Acuso!

Porto Alegre, Brasil
Há quem defenda que o rock deve sempre se opor aos males da sociedade, afinal, a raiz contracultural do rock'n roll lhe dá o dever de ser a voz das ruas diante dos problemas de cada geração. Esta ideia está longe de ser unânime entre os artistas da atualidade, mas é sobre esta veia de denúncia que se apoia a Eu Acuso!, banda porto-alegrense que mistura como poucas o rock alternativo, o punk clássico e o heavy metal em sua face mais barulhenta. Do nome à última frase do seu gritante disco de estreia, tudo na banda é resposta a um tempo em que a desigualdade é a tônica das relações ao redor do mundo.


Pra quem gosta de:Faith No More, Rage Against The Machine, Anthrax e Stuck Mojo.

O Rage Against the Machine atraiu a atenção do mundo do meio para o final da década de 90 usando o peso da sua música para protestar diante dos problemas de uma época. Em 2013, a temática sem rodeios, o som inquieto e a harmonia áspera da Eu Acuso! mostram como teria sido o Rage Against The Machine se o grupo de Tom Morello tivesse trocado o Rio Los Angeles pelo Rio Guaíba. Analogias a parte, o grupo de funk metal gaúcho é um dos filhos mais notáveis que o Rage Against The Machine conseguiu produzir em língua portuguesa.


O peso e a relevância do disco Liberdade Presumida são provas de que a forma e o conteúdo podem andar lado-a-lado no rock'n roll.

Formada a partir de grupos rodados da cena independente gaúcha, a Eu Acuso! lançou o seu disco de estreia em 2013. Com 10 músicas inéditas, Liberdade Presumida é um dos mais completos entre os discos já produzidos por uma banda de tendências libertárias no Rio Grande do Sul.

Acertando em cheio problemas atuais como a desigualdade social, a violência da polícia e o imperialismo norte-americano, o grupo garante a sua relevância em conteúdo. Trabalhando fundo em andamentos que passeiam por uma infinidade de influências e surpreendendo o ouvinte a cada segundo, a Eu Acuso! garante a sua relevância musical, provando que a mistura elaborada nos sons do grupo é instrumentalmente rica e politicamente ácida, em um nível talvez só igualado por bandas da cena internacional.

EU ACUSO! - desde 2012 trazendo para a arte o que a sociedade grita em forma de manifesto.

Nos palcos desde 2012, Carlos Lots (guitarra), Sandré Sarreta (vocal), Ale Mendes (bateria) e Marcelo Cougo de Sá (Baixo) atualmente excursionam pela capital e pelo interior do estado. Com presença marcante junto aos movimentos sociais firmados no Rio Grande do Sul, o grupo tem utilizado a sua música como amplificador dos manifestos populares, levando a voz das ruas ao mundo da música de forma autêntica e sonora.

Se o rock tem o dever de se opor aos males da sociedade, Liberdade Presumida é a barulhenta resposta do rock ao cenário político conturbado pelo qual passa o nosso país. Ou seja, em uma época em que o estado gosta de calar as revoltas populares com bombas de efeito moral, a Eu Acuso! funciona como uma bomba de efeito moral atirada em cheio contra o peito do próprio estado. E é bem difícil dormir com um barulho desses.



Para baixar o álbum gratuitamente, visite o site www.euacuso.com.br.
Facebook: www.facebook.com/euacuso
Soundcloud: soundcloud.com/euacuso/sets/liberdade-presumida
Myspace: myspace.com/euacuso
Youtube: www.youtube.com/user/euacuso

O que você achou disso?

Leia também:

Jim Morrison, morreu mesmo?

Histórias mal contadas, boatos estranhos surgidos com o tempo e possíveis reaparições após a morte até hoje criam muitas teorias em torno da morte do líder do The Doors. Continue lendo

Copyright © 2013 New Yeah Música, todos os direitos reservados.