Samira Winter no Brasil - a boa filha a casa torna

Los Angeles, Estados Unidos
Às vezes o rock se transforma em uma experiência transnacional. Fruto de uma vocalista brasileira, acompanhada por uma equipe norte-americana de peso, a banda Winter, por exemplo, é uma verdadeira viagem entre épocas, mapas, influências e latitudes. No início de 2014, pela primeira vez essa junção de elementos inusitados passou pelo Brasil. Em uma breve turnê que visitou quatro cidades, a vocalista Samira Winter, nascida no Brasil e radicada nos Estados Unidos desde os 15 anos, experimentou pela primeira vez o gosto de estar sobre o palco sendo ovacionada em língua portuguesa.


A passagem pelo Brasil rendeu um reencontro musical com o país, e também serviu como base para a gravação de um projeto solo da cantora. Produzido por Rodrigo Lemos, o EP Tudo Azul foi gravado em meio a turnê da Winter no Brasil, e deve ser lançado dentro dos próximos meses, apresentando uma nova face musical da moça que nos acostumamos a ver posando ao lado de sonoridades shoegaze. Percebendo que a timeline de novidades da banda só crescia, tiramos uns minutos para conversar com a própria Samira Winter, que nos contou mais sobre a experiência nos palcos brasileiros e os lançamentos que devem surgir em breve. 
A formação que tocou no Brasil em janeiro tinha mais brasileiros do que a habitual, algo que só aumentou a química entre a banda e o público daqui.

A turnê no Brasil

"Tudo começou quando a Rubia Oliveira me mandou um e-mail, em outubro do ano passado, me perguntando se eu estaria no Brasil para tocar em um festival curitibano. Eu fiquei super animada, porque já tinha planejado voltar pro Brasil no final do ano. Tive então a ideia de aproveitar a oportunidade para arranjar outros shows. Fui contatando pessoas pelo Facebook pra ver o que acontecia. A escolha das cidades acabou sendo uma questão puramente pratica: quem respondeu aos meus e-mails/mensagens organizou os shows que deram certo. Os espaços que deram certo acabaram sendo no Rio de Janeiro, em São Paulo, em Cabo Frio e em Curitiba. Eu adoraria ter tocado em outros lugares, mas como foi nossa primeira vez, realmente não conhecia gente suficiente pra fazer isso acontecer. Vamos ver na próxima, né?"


A banda que tocou na turnê

"Convidei todas as pessoas que tocam comigo nos Estados Unidos. Dessas, a Ana Karina da Costa veio e foi a baterista da banda na turnê. O Jake Rokke não consegui o visto a tempo, então precisei de um guitarrista e de um baixista para completar a formação. Perguntei pro meu amigo Francisco Bley, da banda curitibana Dunas, se ele poderia ser o meu guitarrista e ele topou. O Francisco então me apresentou ao amigo dele, Gabriel França, que também toca no Dunas, e o Gabriel acabou sendo o nosso baixista nesses shows. Os dois curitibanos são músicos incríveis! Então foi assim que formei a banda da turnê! Deu muito certo, porque teve a combinação da Winter americana com um gostinho mais brasileiro."

A recepção do público brasileiro

"É estranho acreditar nisso, mas todos os lugares nos receberam muito bem. Cada um com seu jeitinho paulista, carioca, curitibano, cabofriense... tocando no Brasil nem tem como não ter uma vibe positiva! As pessoas aqui são muito calorosas mesmo. Os americanos estão bem mais acostumados em ver bandas nesse estilo dream pop-shoegaze. Sinto que o público daqui valorizou bem mais o nosso som, pois não é algo que ele está acostumado a ver todos os dias. A questão de mulheres tocando no palco, especialmente a minha baterista, também é algo que as pessoas daqui acham diferente por não ser muito comum."

A Winter em sua passagem pelo Brasil
A Winter em sua passagem pelo Brasil: pouco acostumado com as sonoridades apresentadas pela banda, o público brasileiro valorizou ainda mais cada uma das apresentações.

O EP gravado com Rodrigo Lemos

"Foi uma chance de gravar musicas sem a pressão de soar como a Winter soaria. Foi uma oportunidade de gravar com um produtor incrível num estúdio muito bom. Nunca havia gravado equipamentos deste nível. O EP vai se chamar Tudo Azul, e levará o meu nome solo. Terá três faixas em português e uma só em inglês. Aviso aos navegantes que o som vai ser diferente do som da Winter: algo mais limpo e mais ensolarado. Estou muito feliz de ter gravado no Brasil, com brasileiros, musicas em português. Estou muito satisfeita e tudo vai sair daqui a alguns meses!"

Os planos para 2014

"Estou acabando de gravar um álbum com a Winter, que deve sair em 2014. O meu EP está quase pronto também, só precisar ser mixado e masterizado. Tenho certeza de que vamos fazer outra turnê no Brasil! Eu sempre vou ser apegada ao Brasil, principalmente a Curitiba, porque a minha família toda mora aqui, então sei que vou voltar em algum momento ao país. Essa passagem pelo Brasil gerou muito aprendizado na organização dos shows. Também conheci muitas pessoas legais que querem manter o contato. A experiência foi muito positiva. Provavelmente voltarei tocando também as músicas solo, pra poder tocar em português e em inglês, como fizemos dessa última vez."


Acompanhe as novidades e as peripécias da Winter no Facebook oficial da banda: www.facebook.com/daydreamingwinter

O que você achou disso?

Leia também:

Jim Morrison, morreu mesmo?

Histórias mal contadas, boatos estranhos surgidos com o tempo e possíveis reaparições após a morte até hoje criam muitas teorias em torno da morte do líder do The Doors. Continue lendo

Copyright © 2013 New Yeah Música, todos os direitos reservados.