Os médicos e o monstro: Andeor explica o disco Contravento

São Paulo, Brasil
Algumas bandas já nascem prontas. De uma hora para outra caem nos nossos ouvidos como se viessem de uma outra dimensão. Nascida no lançamento do EP Tão Claro (2011), a Andeor é um caso todo particular de banda que não precisou de muito tempo para amadurecer. Em um pequeno intervalo de dois anos, as raras arestas soltas do EP inicial foram alinhadas e deram origem ao fino disco Contravento (℗ 2013 Andeor dist. Tratore), que marcou de vez a presença da banda entre os bons nomes da atual geração de músicos paulistas. O disco conquistou espaço na web, chegou até a revista Rolling Stone, levou o grupo ao Grito Rock Cuiabá e pregou uma dúzia de canções no imaginário fiel dos fãs que a banda tem.



Um ano depois do sucesso trazido pelo álbum, a New Yeah convidou a banda para falar mais sobre canções que compõem o seu trabalho mais bem-sucedido. Como nasceu determinada letra? Por que aquele instrumento está assim e não assado? Giovanna Vecchi, Guilherme Schildberg, Lennon Fernandes e Lucas de Sá são os nossos colunistas convidados na estréia deste novo formato. Daqui pra baixo, você conhece mais a fundo um dos melhores discos independentes lançados no ano passado; daqui pra baixo, a criatura é explicada pelos seus próprios criadores.


1. Sangue (1932) - Lennon

Essa canção nasceu no final do nosso processo de composição do disco. Eu sentia a necessidade de ter alguma faixa mais "agressiva" e um tanto "barulhenta", cuja temática girasse em torno de como o espírito jovem se joga e se entrega com sinceridade aos seus ideais. Engraçado que imaginávamos "Sangue (1932)" mais como uma faixa pro fim do disco, mas Duda (produtor) a escolheu pra abrir o trabalho.



2. Fuga - Guilherme

Nessa faixa, eu falo sobre chegar em um lugar e entender tudo que te levou até ali. E também saber que foi tudo isso que te largou naquele lugar. É hora de andar, escolher um caminho e partir até a próxima parada. Às vezes parece tudo ruim, mas o caminho é o que importa, e não o destino.



3. Simples - Lennon

Por que complicamos tanto as coisas tão simples? Por que ficar distante de alguém que você gosta? A gente imaginava uma intro mais longa... mas acabou ficando mais "diretona" mesmo. É uma canção que representa algo muito bom pra mim.



4. Vontade – Lucas e Lennon

A música foi feita basicamente por causa de uma frustração amorosa, mas que apesar de tudo, deixou em mim um sentimento de carinho, desejando o bem para a pessoa, independente de onde ela estivesse. Mostrei a canção pro Lennon, fizemos alguns ajustes harmônicos e incluímos inversões nos baixos. O refrão e a parte em compasso composto entraram depois. Essa gravação quase não entrou no disco. Acredito que o que fez entrar foi a participação do quarteto de cordas, que foi muito especial.



5. Nós - Guilherme

Apesar de, à primeira vista, parecer um trocadilho entre a corda e o pronome, a escolha foi realmente pra confundir. Estou falando das duas coisas. O "nó" aparece claramente na música e o "nós" fica ali subentendido. Uma coisa que não fica clara, mas que vou contar aqui pra vocês, é que é um diálogo.



6. Desenho Desanimado - Lennon

Gravar essa faixa era um desafio pra mim. Uma canção singular que eu tinha certeza que muitos gostariam. Fala de um sonhador admirando sua amada, porém, ele só se aproxima dela quando a vê em apuros.



7. Eu Sei - Guilherme

Uma vez eu percebi que as pessoas se apaixonavam ou se odiavam pelos mesmos motivos. Aí eu pensei em escrever uma música onde os motivos de alguém ter se apaixonado foram os mesmo que fizeram acabar.



8. Lua - Lennon

Sobre quando você descobre a lua e se apaixona por ela. Fica perplexo, enfeitiçado. E quer todo o bem. Curioso que na pré-produção trabalhamos uma canção chamada "Sol". rsrs



9. Disfarce - Guilherme

Essa música é a única do disco que tem artigo feminino. Pode ser interpretada por qualquer pessoa sem mudar esse artigo.



10. Canção do Tolo - Guilherme

Tem gente que faz o favor de te dizer como deve parecer. O mais engraçado é que no fim das contas essa música diz como o outro deve parecer.



11. Abrigo II - Lennon

Lembro do dia que compus a parte final dessa faixa. Eu tinha um compromisso e tive que ligar pra desmarcar (rsrs) tamanho o jeito que fiquei "hipnotizado". Não conseguia parar de tocar, sozinho, eu e o violão. Lembro que a gravamos num sábado e o Duda (produtor) disse: "Man, aperta os botões lá" (rsrs) ficamos um bom tempo gravando sozinhos. 



Agenda de shows, mais informações sobre o disco e mais curiosidades sobre banda podem ser coletados no site oficial da Andeor e na fanpage do grupo no Facebook.

O que você achou disso?

Leia também:

Jim Morrison, morreu mesmo?

Histórias mal contadas, boatos estranhos surgidos com o tempo e possíveis reaparições após a morte até hoje criam muitas teorias em torno da morte do líder do The Doors. Continue lendo

Copyright © 2013 New Yeah Música, todos os direitos reservados.