Por que ouvir? Dentre Nós, Bruno Serroni

São Paulo - SP, Brasil
Muitos artistas consagrados, em certo momento da carreira, acumulam tantas composições, arranjos, ideias e vontades que apenas uma banda ou um projeto já não são capazes de saciar a sede criativa. Por esse motivo, alguns músicos precisam criar novas possibilidades para explorar ainda mais o seu potencial. Baixista, violoncelista e produtor, Bruno Serroni entra para este grupo de artistas sedentos e, agora, encara o desafio de dar a própria cara à tapas depois de atuar ao lado de grandes nomes da música nacional, como Marcelo Jeneci, Thiago Pethit e Pullovers. O disco que ilustra a audácia de Bruno carrega o nome de Dentre Nós.

Bruno Serroni, Dentre Nós

Dentre Nós é um disco extremamente bem produzido, com composições bem arranjadas e uma banda afiada o bastante para blindar o trabalho contra qualquer rótulo superficial. A receita é simples: a larga experiência musical de Bruno somada a participações especiais e um conjunto de apoio tão experiente quanto o próprio idealizador do projeto. Entre os músicos encarregados de montar o cenário para o show de estreia do senhor Serroni, estão nomes como o guitarrista Guri de Assis Brasil (Pública), o baixista Hurso Ambrifi (Thiago Pethit), o baterista Carlinhos Mazzoni (Blubell) e a inconfundível Laura Lavieri, voz feminina marcante nos dois discos solo de Marcelo Jeneci. A alquimia elaborada pelo grupo, lógico, reflete a qualidade que todos já conhecem, e o resultado são canções que conseguem mesclar diversos estilos brasileiros a sonoridades modernas e atuais. Dentre Nós se baseia no clássico, mas é, definitivamente, um disco contemporâneo.

"Já Chega", canção que abre o disco, é uma composição de arranjo complexo, carregada de metais e incessantes solos de guitarra, mostrando o criativo Assis Brasil bem à vontade dentro da estética proposta. "Nunca Te Vi", por sua vez, é quase uma antítese disso, com seu começo tranquilo ao som de um violão acústico que mais tarde encontra o ritmo suave de uma orquestra de metais apoiada por uma linha limpa de bateria.



"Um Dia Assim" é o início de uma nova etapa dentro do disco. Sobre arranjos mais introspectivos, a voz doce de Laura Lavieri mostra que os seus bons duetos não são exclusividade dos trabalhos de Jeneci. A sintonia entre Laura e Bruno rende alguns dos principais momentos do disco, dando vida à uma balada romântica que dificilmente poderá ser igualada tão cedo.

"Das Coisas Que Eu Não Quero Mais" é regida por pianos, mas tem o seu ápice em um solo de guitarra que chega rasgando a suave melodia da gravação, acompanhada de perto por um refrão cheio de adjetivos que se completam, lembrando o hit "Cobra de Vidro" da banda Vespas Mandarinas. "Imóvel, impassível, vulnerável, permissivo, passional". Logo depois, é a vez da canção que dá nome ao disco, "Dentre Nós": música doce e tranquila que ajuda o ouvinte a se recuperar do golpe dado pelo peso da faixa antecessora.



Dando continuidade ao disco, chega a vez dos sambas melancólicos "Chorinho" e "Coração Baldio", trazendo um outro lado das influências de Serroni, explorando ainda mais todos os recursos que a música brasileira proporcionou a sua carreira e provando que a sua trupe não desafina nem na mais complexa das referências. Abusando ainda mais da sua versatilidade em caminhar por diferentes ritmos, Bruno quebra a linha de raciocínio do ouvinte em "Bem Me Quer, Mal Me Quer", indo de um chorinho à uma canção orquestrada por pianos e guitarras, com um refrão forte, capaz de trazer, junto consigo, uma parede de riffs de baixo e explosões de bateria.

O encerramento do disco tem a soturna "Cena do Cotidiano", criando um clima quase cinematográfico que reflete bem a experiência de Serroni com produções de trilhas para o cinema. Ainda há espaço para que a qualidade da banda de apoio apareça em "Fly Away" - e o momento em que Serroni consegue usar a voz doce de Laura Lavieri como plano de fundo para seu solo de violoncelo é talvez o grande momento do trabalho de estréia, resumindo bem a ousadia que Bruno Serroni certamente quis passar com este conjunto de canções.



O que se consegue notar no som como um todo é que o background de Serroni como produtor atua como diferencial decisivo na qualidade de cada segundo de audição. Está em suas mãos o mérito de ter unido grandes nomes, composições bem trabalhadas, arranjos perfeccionistas e participações que completam perfeitamente as suas canções, criando um ambiente capaz de agradar não só os músicos que procurarão o disco como referência, mas também o ouvinte comum que, em sua simplicidade, se sente feliz em ouvir canções que o tocam de alguma forma.

Se gostou do som de Bruno Serroni, você pode adquirir seu Dentre Nós em formato físico (LP 12" e CD) diretamente em sua loja virtual, ou ouvir o registro completo através do seu SoundCloud.

O que você achou disso?

Leia também:

Jim Morrison, morreu mesmo?

Histórias mal contadas, boatos estranhos surgidos com o tempo e possíveis reaparições após a morte até hoje criam muitas teorias em torno da morte do líder do The Doors. Continue lendo

Copyright © 2013 New Yeah Música, todos os direitos reservados.